segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Salvação e comportamento cristão



Desde o Gênesis até o Apocalipse, a Bíblia tem tudo a ver com Jesus. Mas não com Jesus em um vazio. É com Jesus e a redenção. É com o que Deus fez em favor da humanidade caída. É com o surpreendente sacrifício próprio de Deus a fim de nos restaurar ao que originalmente nos foi dado, e mesmo mais. Em resumo, a Bíblia trata da salvação, e esse é um tema-chave também em 1º João.


4. De acordo com os textos seguintes, como nos foi dada a salvação?


(1 João 1:9) - Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.

(1 João 2:2) - e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.

(1 João 4:9-10) - Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.


O meio de nossa salvação é o sangue de Cristo (1Jo 1:7; 5:6, 8), isto é, Seu sacrifício expiatório (1Jo 2:2; 4:10). A cruz não é mencionada diretamente em 1º João. Porém, o sangue e o sacrifício expiatório apontam para a cruz. Não é o exemplo de Jesus que nos salva, por mais importante que seja. É Sua morte. E, ainda, Seu exemplo nos convida a caminhar como Ele fez (1Jo 2:6).


Para João, a salvação dos crentes é uma realidade presente. Ele a descreve de várias maneiras:



Comportamento cristão


Embora, em sua primeira epístola, João trate de erros teológicos, ele novamente fala de ética. João vê claramente que a teologia condiciona a ética e que uma teologia errônea pode levar a atos errados. Consequentemente, é importante ser tão corretos em nossa teologia quanto possível. Uma compreensão errada, por exemplo, da lei e da graça levou milhões sem conta a pisotear o sábado de Deus (ou ainda, querer comprar a salvação através de atos penitênciais ou os falsos ensinos da "Teologia da prosperidade", quando se ensina que o homem pode "comprar" a bênção divina através do "dando a Deus é que se recebe, quanto mais dá, mais se recebe", o que é um tremendo erro). Deste modo, devemos nos certificar de que nossa compreensão teológica de Deus e das Escrituras seja madura, crescente e correta.


Devemos também nos certificar de que a nossa teologia se traduza em práticas corretas. É triste ver alguém, um grande defensor da ortodoxia teológica, fugir com o cônjuge de seu vizinho. É trágico quando estudantes e seminaristas de teologia usam desonestidade nas provas. É lamentável quando os guardadores do sábado, que conhecem a verdade sobre a salvação, o santuário celestial e o estado dos mortos, não obstante mentem uns aos outros.


5. Recapitule os textos seguintes e, nas linhas abaixo, resuma o que eles nos ensinam sobre o comportamento ético.


1Jo 2:1; - Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo;


1Jo 3:4, 15, 17, 18; - Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei. Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino; ora, vós sabeis que todo assassino não tem a vida eterna permanente em si. Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade.


1Jo 5:2, 3. - Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos,


Leia também

1Jo 1:7, 15, 16; - Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.


1Jo 3:7; - Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como ele é justo.


1Jo 4:7. - Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.


Com apelos diretos e indiretos, João enfatiza o comportamento ético. Ele pede que os cristãos não mintam, não pequem, não odeiem seus irmãos ou irmãs, não amem o mundo com suas atrações e orgulho, e não pratiquem a iniquidade. Ele diz que devemos ser obedientes, fazer o que é certo e amar uns aos outros de maneira tangível. Embora Paulo seja mais detalhista que João (veja, por exemplo, Ef 4:25-5:21), João resumiu tudo quando apontou para a necessidade de guardar os mandamentos de Deus e andar e viver de maneira semelhante à vida de Jesus (1Jo 2:6 - aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou).


João deixa claro que nascer de Deus, conhecer a Deus, amar a Deus, é algo que muda nossa vida. Conforme João, a verdade não é algo em que se deve acreditar, somente; é algo a ser vivido. Talvez nenhum outro verso diga isso de maneira mais clara que 1º João 3:7: “Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como Ele é justo”.


Como podemos andar e viver como Jesus? O que significa isso na prática? Você está enfrentando alguma coisa, agora mesmo, que talvez exija muita graça e força para agir como Cristo agiria?






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário